Pesquisa traça perfil dos turistas que usam as linhas rodoviárias em MS

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no print
Print
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Com a participação de três empresas, a Agems (Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos), em parceria com o Observatório do Turismo (Observatur/Fundtur-MS), lança no dia 15 de janeiro um projeto piloto para identificar o perfil dos turistas usuários de linhas rodoviárias e fretamento em Mato Grosso do Sul.  Quem estiver viajando nos ônibus da Viatur, Cruzeiro do Sul e Andorinha vai encontrar um cartaz com o convite a responder a pesquisa. Com o celular, basta acessar o QR Code e ir direto para o formulário.

O levantamento vai acontecer durante dois meses, até 15 de março. Além da identificação de perfil, a pesquisa pretende obter a percepção desses passageiros em relação ao serviço prestados pelos transportadores rodoviários turísticos. “A opinião das pessoas que viajam é muito importante para a gestão pública e privada na tomada de decisões. Já tivemos um primeiro levantamento feito em parceria com a Fundtur, aberto ao público em geral. Agora estamos direcionando para quem de fato está a bordo e poderá fazer essa avaliação logo após utilizar o serviço”, explica o diretor de Transportes da Agems, Matias Gonsales Soares.

Responsável pela regulação e fiscalização do serviço público de transporte intermunicipal, a Agência está trabalhando, com o Escritório de Projetos Estratégicos e a Secretaria de Infraestrutura na renovação e modernização do Sistema. O serviço público abrange as linhas, mas os gargalos e demandas do transporte turístico também serão considerados. “Estamos construindo um Plano Diretor para melhorar o serviço como um todo, fortalecer as linhas, coibir os clandestinos, garantir o melhor transporte para os sul-mato-grossenses e pessoas do Brasil e do exterior que veem aproveitar os atrativos nos mais diferentes municípios do estado”, reforça o diretor-presidente da Agems, Carlos Alberto de Assis.

Empresas

A pesquisa vai estar disponível para passageiros de diversas linhas de três empresas nesse primeiro momento. “Consideramos excelente a participação do usuário frequente do serviço na pesquisa, nossa expectativa é que eles possam contribuir com suas sugestões para o aprimoramento do Plano Diretor”, avalia o gerente operacional da Andorinha, João Batista Hernandes Teixeira.

Ele conta que a transportadora já realiza esse tipo de levantamento de forma interna, para avaliação da viagem e sugestão de melhoria, e que o sistema vai ser utilizado no projeto da Fundtur e Agems. “Nossos motoristas foram orientados a informar aos passageiros sobre a importância de contribuir com a pesquisa. Ao mesmo tempo, nosso SAC enviará para alguns clientes, via WhatsApp, o link de acesso ao formulário. Acreditamos que haverá um bom volume de participantes, o que vai ajudar o levantamento a ser mais fiel a realidade do mercado”.

Toda a equipe da empresa Viatur também já está preparada para a pesquisa, conforme relata o diretor Luis Fernando Otero. “Envolvemos nossos motoristas, fiscais que atendem ao longo da linha, agentes de venda, para que já na compra o cliente saiba da pesquisa e possa ter uma maior adesão”, diz. “Acho que a iniciativa é importante, porque o transporte tem evoluído nos últimos anos, mas ainda não no ritmo que o mundo está evoluindo. Então, precisamos entender do usuário qual a expectava, quais são os pontos que enxerga como negativos para melhoria”.

Passageiros da Cruzeiro do Sul também serão consultados. Para o diretor Cesar Possari, a expectativa é positiva. “Toda pesquisa é oportunidade de melhoria, e a nossa empresa adotará o levantamento em todas as linhas, quando o usuário poderá, após algumas horas, responder o questionamento para que possamos melhorar nossos serviços”, confirma. “Avaliamos positivamente essa iniciativa e esperamos que esses dados técnicos sirvam para tomada de decisões”.