MS aposta na retomada do turismo no 2º semestre

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no print
Print
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

turismo

O governo estadual, por meio da Fundtur (Fundação Estadual de Turismo), espera a retomada do turismo no segundo semestre, em Mato Grosso do Sul, e durante este período de pandemia, já requisitou uma ajuda ao setor para pagamento da folha salarial e abertura de novos créditos.

Devido ao cenário de coronavírus, que já teve 53 casos registrados no Estado, a Fundação entende que as atividades voltam ao normal apenas daqui quatro meses e que haverá uma “mudança de hábito” dos turistas, que vão preferir seguir para locais menos populosas, o que pode favorecer os pontos de ecoturismo de Mato Grosso do Sul.

Para isto, a Fundtur divulgou que pretende lançar três campanhas proporcionais que vai lançar em breve e editais de eventos já para 2021, para fortalecer o setor, em parceria com o Ministério do Turismo. Neste momento ainda tem o foco de auxiliar, junto com o Procon-MS, das negociações entre clientes e empresas, que tiveram viagens agendadas para este período.

O diretor-presidente da Fundtur, Bruno Wendling, citou que os acordos devem seguir o mesmo padrão do que ocorre nas companhias aéreas, que consiste em as empresas (viagens) concederem “crédito” aos clientes para que as viagens ocorram após a pandemia ou ressarcimento de valores.

A expectativa é que o setor volte a produzir no segundo semestre e chegue a “normalidade” apenas em 2021.  “Nosso Estado se beneficiará por conta da mudança no mercado pelo seu diferencial, se tornando mais competitivo no nosso principal atrativo, que é o ecoturismo”, descreveu Wendling.

O foco das campanhas (promocionais) em Mato Grosso do Sul ainda será a importância dos sul-mato-grossenses conhecerem as belezas naturais do seu Estado, com viagens domésticas, assim como atrair os turistas em nível nacional, para conhecer o ecoturismo local.

Ajuda – A Fundação de Turismo também quer medidas financeiras de ajuda as empresas que trabalham neste setor, ao menos pelos próximos quatro meses, com auxílio para pagamento de folha salarial e abertura de novas linhas de crédito. Estes pedidos foram encaminhados para o Ministério do Turismo. – CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS