DIFUSÃO DA CULTURA EMPREENDEDORA

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no print
Print
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print
Os representantes do Ministério da Economia apresentaram o plano que está em desenvolvimento e que visa a qualificação dos trabalhadores empregados e desempregados. (Foto: Divulgação).
Os representantes do Ministério da Economia apresentaram o plano que está em desenvolvimento e que visa a qualificação dos trabalhadores empregados e desempregados. (Foto: Divulgação).

O Sebrae será parceiro do Ministério da Economia para disseminar a cultura empreendedora pelo país. Na quarta-feira (19), o presidente do Sebrae, Carlos Melles, debateu a construção da proposta de aliança, como alternativa de combate ao desemprego, com o secretário especial adjunto do Ministério da Economia, Igor Calvet; com a subsecretária de Supervisão e Estratégia do Ministério, Luíza Motta Deusdará; o subsecretário de Capital Humano, Rodrigo Zerbonee e Fábio Silva, coordenador geral de Empreendedorismo e Artesanato.

Os representantes do Ministério da Economia apresentaram o plano que está em desenvolvimento e que visa a qualificação dos trabalhadores empregados e desempregados. “Pretendemos aumentar a produtividade e preparar o trabalhador brasileiro para o futuro”, disse Fábio Silva. O programa contará com vouchers que irão permitir o acesso a treinamentos e cursos de capacitação em parceria com o Sistema S.

Carlos Melles reforçou que o Sebrae é uma instituição focada na educação e no empreendedorismo. “Não podemos perder essa oportunidade. Eu tenho certeza que somos o canal que o ministério precisa para acessar as micro e pequenas empresas e os futuros empreendedores. Estamos no país inteiro e somos aliados ao comércio, indústria e agricultura”, destacou.

O secretário Igor Calvet reiterou a importância de buscar uma parceria com o Sebrae para que o programa consiga incluir as micro e pequenas empresas. “Pensamos em trabalhar em conjunto para que possamos levar o voucher aos pequenos negócios e estruturar uma abordagem de construção de habilidades empreendedoras e de gestão para esses novos atores que querem estrar no setor produtivo”.