Pessimismo dos consumidores aumenta em março

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no print
Print
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

 

O Índice Nacional de Expectativa do Consumidor (Inec), que sintetiza o sentimento dos brasileiros com relação à situação e às expectativas econômicas, apresentou queda de 1,1% na passagem de fevereiro para março, informou hoje (1º) a Confederação Nacional da Indústria (CNI), com base em pesquisa. Quanto menor o índice, mais pessimista é a avaliação dos consumidores.

Com a queda registrada em março, o índice volta a indicar aumento do pessimismo do consumidor após dois meses. O indicador, que registrou 97,6 pontos, está 11% abaixo da média histórica (109,3 pontos).

O indicador de desemprego teve queda de 6,1% entre fevereiro e março. Dos seis componentes do Inec, outros dois também apresentaram queda em março ante fevereiro.

O indicador de situação financeira – na comparação com os últimos três meses – ficou 2,9% menor e o de expectativas para os próximos seis meses em relação à renda pessoal caiu 2,8% no período.

Houve melhora na percepção do brasileiro em relação ao endividamento frente aos últimos três meses, cujo indicador teve alta de 2,2% em março. Já o indicador de expectativas em relação à inflação, que cresceu 0,4%, e o de expectativas de compras de bem de maior valor, com aumento de 0,7% no período, ficaram praticamente estáveis.

A pesquisa, feita em parceria com o Ibope (Instituto Brasileiro de Opinião e Estatística), ouviu 2.002 pessoas em 142 municípios entre os dias 17 e 20 de março. (Da Agência Brasil).