MS projeta crescimento do PIB acima de 3,5% em 2022

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no print
Print
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Secretário de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura (Semagro), Jaime Verruck apontou que Mato Grosso do Sul pode ser o estado com melhor crescimento do produto interno bruto (PIB) do país em 2022.

A informação foi repassada ao vivo durante o Programa Prosseguir, na manhã desta terça-feira (3).

“2022 será um grande ano para Mato Grosso do Sul, principalmente na geração de empregos, então prepare-se porque haverão oportunidades”, disse.

Segundo indicador da pasta, este ano o PIB deve fechar com crescimento de 3,5% em relação ao ano anterior, que foi de $ 23,5 bilhões. Para 2022, há expectativa de aumento de 5,5%.

Verruck elencou três motivos para o crescimento: o agronegócio, que deve crescer mesmo com a interferência do clima; o investimento público; eo investimento privado, como indústrias de etanol, celuloses e frigoríficos.

As projeções foram feitas pelo próprio governo, já que o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), responsável pela função, só analisa dados de grandes estados.

Uma das grandes responsáveis ​​pelo otimismo da Semagro é a Fábrica Suzano, que pretende investir R $ 14,7 bilhões nos próximos anos para construir sua maior fábrica de celulose em Ribas do Rio Pardo.

“Só a Suzano, com R $ 15 bilhões em capacidade plena, gera um crescimento do PIB durante a construção de 3%. Então só ela, em termos líquidos, gera para o próximo ano crescimento de 3%”, explicou.

Somente no ano passado, a Suzano gerou mais de 1,3 mil vagas de empregos em todo o Estado , sendo 217 delas para o setor industrial e 1.094 para atender ao setor florestal da empresa.

Durante o primeiro semestre de 2021, a fábrica conseguiu empregar 714 pessoas. Atualmente, o empreendimento tem cerca de 6 mil postos de trabalho, entre diretos e indiretos.

“Isso já é fato e já está ocorrendo. Se a gente somar Suzano, com a questão do etanol e mais um outro empreendimento que está sendo lançado, são R $ 20 bilhões”, completou.