MS é 7º em ranking que avalia ambiente de negócios

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no print
Print
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Mato Grosso do Sul (Campo Grande) é o 7º colocado do país e o 1º da região Centro-Oeste no ranking Doing Business Subnacional Brasil, que avaliou o ambiente de negócios nas capitais brasileiras e no Distrito Federal por meio do desempenho em cinco indicadores: abertura de empresas, obtenção de alvará, registro de propriedades, pagamentos de impostos e execução de contratos. O ranking foi divulgado nesta terça-feira (15) pelo Governo Federal.

O Doing Business é elaborado pelo Banco Mundial e mede a facilidade de se fazer negócios em 190 países. No Brasil, só eram usados os dados das cidades de São Paulo e do Rio de Janeiro. A realização do ranking em nível Subnacional é inédita no Brasil e atendeu à solicitação da Secretaria Especial de Modernização do Estado, por meio do eixos da política federal Moderniza Brasil. Além do Brasil, entre os países e blocos que contam com o estudo subnacional estão o Peru, União Europeia e Angola.

Em Mato Grosso do Sul, o estudo para elaboração do Doing Business Subnacional Brasil foi acompanhado pela Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar). A metodologia foi aplicada durante o ano de 2020 e contou com a participação de órgãos estaduais como a Jucems, Sefaz, e Corpo de Bombeiros Militar; Prefeitura de Campo Grande e órgãos municipais; Tribunal de Justiça; Receita Federal, além de contar com respostas também do setor privado (contadores, advogados e empreendedores).

Em cada um dos cinco indicadores avaliados (abertura de empresas, obtenção de alvará, registro de propriedades, pagamentos de impostos e execução de contratos), foram analisadas três dimensões, como o número de procedimentos, custo e tempo. Os destaques de Mato Grosso do Sul foram a 2ª colocação no indicador de obtenção de alvarás; a 6ª posição em registro de propriedades e 8ª em pagamentos de impostos. O estudo do Banco Mundial aponta que, nos indicadores execução de contratos (17º) e abertura de empresas (22°), há necessidade de avanços e melhoras em Mato Grosso do Sul.

“Essa é uma informação fundamental para melhoria do processo. Na abertura de empresas, por exemplo, ainda temos procedimentos e etapas a serem cumpridas até atingirmos o nível de integração e de resposta que o estudo exige. Mas a 7ª colocação no ranking já é um indicador importante para o nosso Estado. Vamos agora analisar com os órgãos participantes as formas de melhorar esses serviços”, comenta o secretário Jaime Verruck, da Semagro.