Dia dos Pais deve movimentar R$ 245 milhões na economia de MS

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no print
Print
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

O Dia dos Pais, comemorado no segundo domingo de agosto, deve movimentar R$ 245,28 milhões na economia de Mato Grosso do Sul.

É o que aponta pesquisa divulgada nesta quinta-feira (14) pelo Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento da Fecomércio (IPF-MS) em parceria com o Sebrae.

A estimativa de gastos com presentes e comemorações é 5% maior do que no ano passado, quando a movimentação foi de R$ 201,16 milhões.

Conforme a pesquisa, serão R$ 152,4 milhões em compras e R$ 92,8 milhões em comemorações.

Apesar de 5% maior, o aumento é considerado pequeno para a data.

A economista do IPF-MS, Regiane Dedé de Oliveira, observa que “o pequeno aumento na perspectiva de gasto do consumidor para o Dia dos Pais ainda é reflexo do poder de compra reduzido pelo aumento no preço dos produtos”.

Presentes

Com presentes, o gasto médio será de R$ 207,74 e menos da metade dos entrevistados afirmam que irão comprar algo para os pais, sendo 49,40% com intenção de presentear.

Os presentes mais apontados como opções são vestuário (43,40%), perfumes (26,50%), acessórios (18,80%), calçados (15,70%), relógios (8,60%) e eletrônicos (6,10%).

As lojas físicas são a preferência da maioria dos entrevistados, com 81% afirmando que irão comprar presencialmente e apenas 9,80% pela internet.

Quanto ao que chama a atenção do consumidor, para 42,4% são as vitrines, 29,4% se guiam por propagandas, 14,5% pela escolha da pessoa a ser presenteada e 12,8% as dicas de familiares.

A orientação do presidente do Instituto de Pesquisa da Fecomércio (IPF/MS), Edison Araújo, é que os comerciantes preparem as equipes, vitrines e combos especiais que chamem a atenção dos consumidores.

Outro ponto a ser observado, segundo Araújo, é quanto a forma de pagamento e atendimento.

“É importante que o empresário esteja atento ao fato de que a maioria dos consumidores, 63%, pretende pagar à vista e, por isso, vai exigir descontos, mas o atendimento e a variedade também farão diferença no momento de decisão, além da possibilidade de parcelamento, que é opção apontada por mais de 38%”, alerta.

Quanto aos que não vão presentear nesta data, a maioria, 53,70%, diz que o pai faleceu. 

Outros 11,80% dizem não ter contato com o pai; 10,80% que estão sem dinheiro e 6,10% desempregados.

Comemorações

Já com relação as comemorações, o gasto médio será de R$ 152,80.

Dentre as pessoas que irão celebrar a data, a maioria (79,60%) irá passar o dia reunida com o pai e comprarão ingredientes para preparar uma refeição em casa.

Há também 16,20% que comemorarão o dia em um restaurante ou similar; 10,60% levará o pai para um passeio; 1,20% passarão o dia reunidos com o pai e pedirão algo por delivery e 2,80% pretende comemorar à distância.