Abertura de empresas bate recorde no Estado

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no print
Print
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Mato Grosso do Sul fechou o terceiro trimestre de 2021 com a abertura de 7.130 empresas. Dados da Junta Comercial do Estado apontam que este é o melhor resultado para o período de toda a série histórica, que teve inicio em 2000.

“O resultado é uma constante. Dos nove meses do ano, só dois (julho e setembro) não bateram o recorde na abertura de novas empresas”, observa o presidente da Junta, Augusto Castro.

Das empresas abertas neste tempo, 3.059 ficam em Campo Grande (43% do total) e 766 estão em Dourados (11%).

O setor de serviços foi o melhor colocado, sendo que das 7.130 empresas abertas neste ano, cerca de 4 mil são do ramo da economia. Na sequência aparecem o comércio com 2.212 e a indústria com 321 negócios constituídos.

Castro comenta que além da confiança do empreendedor por novos negócios, três fatores devem ser observados nesse momento.

“Mato Grosso do Sul tem economia voltada para o campo, girando em torno do agronegócio, que tem bons resultados mesmo na crise”, comentou.

“Junto a isso, medidas econômicas adotadas pelo Governo do Estado durante a pandemia e a modernização tecnológica da Jucems, iniciada em 2018, aqueceram a economia e contribuíram para o melhor resultado da série histórica”, completou.

Segundo o secretário da Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), Jaime Verruck, existe uma relação entre o empreendedor e a abertura de empresas.

“Temos acompanhado esse comportamento, não só na quantidade, mas também na qualidade dos novos negócios”, informou.

“Demonstra a vitalidade de nossa economia, o que atrai mais investimentos, gera empregos, aumenta o consumo, melhora a performance do Fisco e estimula um ciclo de crescimento em todos os setores”, explicou.

Jucems Digital

Em 2019 a Jucems Digital passou por uma adaptação para operar pelos próximos anos.  

Por meio da plataforma é possível realizar serviços como constituições, alterações, extinções e arquivamento de outros documentos de interesse do empresário, além da emissão de certidões que são feitas a qualquer hora do dia.

O sistema resolveu problemas de agilidade e simplicidade ao processo de abertura de empresas, um antigo gargalo que afetava o setor empresarial foi resolvido.

“Em 2020 e 2021 não paramos, mesmo na pandemia. Temos uma média de 80 servidores que contribuíram efetivamente com o sistema de análise documental para que os processos não parassem”, completou o presidente da Junta.