MS deve entrar para o “top 5” da produção de peixe

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no print
Print
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print


O governo federal formalizou na sexta-feira (dia 4) a cessão de uso de águas do lago da hidrelétrica de Porto Primavera, em Brasilândia. De acordo com o secretário nacional de Pesca e Aquicultura, Jorge Seif Junior, a liberação da criação de peixes em águas de domínio da União vai alavancar a produção de peixe em Mato Grosso do Sul.

“Em 2019, foram produzidos 18 mil toneladas de peixe. Com essa outorga, o Estado entrará no ‘top 5’ de produção de peixes. A previsão é crescer para 50 mil toneladas no ano”, afirmou o secretário.

Segundo a ministra da Agricultura, Tereza Cristina Corrêa da Costa Dias, a outorga representa geração de renda. “Isso vai levar emprego e desenvolvimento para região da Costa Leste do Estado”, destacou. Os representantes do governo federal participam da entrega de residencial no bairro Aero Rancho, em Campo Grande.

No fim do ano passado, a administração federal publicou decreto que simplifica a cessão de uso de águas em domínio da União para a prática da aquicultura, como rios federais, mar territorial, zona econômica exclusiva e reservatórios de hidrelétricas.

“Cedemos um espaço físico da União em lago de hidrelétrica, para a produção de tilápia em MS, o que permite que o revelado que licitou esta área possa produzir pescado neste local e aumentar sua preferência”, afirmou o secretário Nacional de aquicultura.

Júnior destaca que a medida vai alavancar a produção no Estado, que pode sair da 11 ° posição para ficar entre os cinco primeiros. 

“Mato Grosso do Sul agora vai passar de 60 mil toneladas por ano e vai chegar entre os cinco maiores produtores do País. Isto gera empregos e renda para toda a região ”, reiterou Jorge.

A ministra Tereza Cristina disse que esta cessão onerosa vai gerar muitos empregos para Mato Grosso do Sul. 

“Irá ampliar a produção de pescado para uma região importante do Estado, que é a Costa Leste. Isto representa o desenvolvimento da economia local ”, frisou a ministra.