MS adere a sistema federal e agiliza análise do CAR de 75 mil propriedades rurais

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no print
Print
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

O Governo do Estado de Mato Grosso do Sul vai agilizar a análise do CAR (Cadastro Ambiental Rural) de 75.379 propriedades rurais, dando mais segurança jurídica aos proprietários e assegurando a preservação do meio ambiente. A medida foi assegurada nesta terça-feira (18) em Brasília, pelo governador Reinaldo Azambuja e o secretário Jaime Verruck, da Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), após assinatura da adesão oficial do Estado ao AnalisaCAR, sistema do Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento). A assinatura ocorreu no gabinete da ministra Tereza Cristina, do Mapa.

“O AnalisaCAR é uma ferramenta que vai permitir a análise dos dados declarados no CAR de forma automatizada por parte dos Estados. Além da regularidade ao produtor, a ferramenta traz benefícios sobre a preservação e conservação. A gente avança muito na lógica de desenvolvimento sustentável para o Estado. O AnalisaCAR é a ferramenta fundamental para finalizar o processo de análise do CAR e consequentemente avançar mais rápido no PRA (Programa de Regularização Ambiental) e assim, cumprir o Código Florestal Brasileiro”, destacou o secretário Jaime Verruck, da Semagro.

A ferramenta foi desenvolvida pelo SFB (Serviço Florestal Brasileiro), em parceria com a UFLA (Universidade Federal de Lavras), para ajudar os estados na verificação dos dados declarados no CAR. A plataforma vai permitir a análise de forma automatizada, por meio de mapeamentos georreferenciados, garantindo agilidade e precisão ao processamento.

O AnalisaCAR utiliza tecnologias de sensoriamento remoto e pode processar a análise de milhares de cadastros simultaneamente. A análise dos dados declarados no CAR é fundamental para a implantação efetiva do Código Florestal Brasileiro. Com a análise manual feita por equipe técnica, cerca de 3% dos cadastros da base do Sicar passaram por algum tipo de análise.

Em Mato Grosso do Sul, 75.370 propriedades efetuaram a inscrição do CAR no sistema desenvolvido pelo Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul). Destas 50.636 inscrições são de propriedades com até 4 módulos rurais; 13.445, são de propriedades entre 4 e 15 módulos e 11.298 inscritos são de propriedades com área acima de 15 módulos rurais.

André Borges, diretor-presidente do Imasul, lembra que “uma das metas do nosso planejamento estratégico é a implantação de geotecnologias para melhorar o serviço que é prestado ao usuário. Por isso, a análise dinamizada do CAR vai trazer uma celeridade maior nas análises, que serão feitas pelo sistema, gerando uma eficiência muito maior”.

A próxima etapa, segundo André, é subsidiar o sistema desenvolvido pelo SFB com informações georreferenciadas de Mato Grosso do Sul. “Nós estamos buscando o que eles chamam de insumos, como por exemplo, um mapa da hidrografia do Estado, por meio do qual vamos conseguir calcular a área de preservação permanente; um mapa de uso e ocupação do solo, para nós podermos delimitar o que temos de área já explorada e o que ainda tem de remanescente para fazermos o cálculo da reserva”, finalizou.

Cadastro Ambiental Rural e o AnalisaCAR

O CAR é um registro público eletrônico de âmbito nacional, obrigatório para todos os imóveis rurais, com a finalidade de integrar as informações ambientais das propriedades e posses rurais. De acordo com o Mapa, em todo o Brasil já foram feitos 7 milhões de registros, o que corresponde a cerca de 540 milhões de hectares.

Esse robusto banco de dados georreferenciado deve agora passar pela etapa de análise e qualificação das informações declaradas. Segundo o ministério, a análise dos dados declarados no CAR é fundamental para a implantação efetiva do Código Florestal Brasileiro – principal legislação que orienta a ocupação territorial nas propriedades rurais.

A partir da análise, os produtores rurais que estiverem com déficit de vegetação poderão iniciar a regularização ambiental de seus imóveis e aqueles que tiverem excedentes de vegetação poderão acessar os benefícios da conservação ambiental, como as Cotas de Reserva Ambiental e outras modalidades de Pagamentos por Serviços Ambientais.