Mel apresenta alta de quase 70% em Mato Grosso do Sul, diz Conab

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no print
Print
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

O preço médio do quilo do mel pago ao produtor em Mato Grosso do Sul teve alta de quase 70%. O dado da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), mostra o valor comercializado que sai de R$8,16 para R$13,79.

A média em janeiro também apresentou alta. Em 2020 foi registrado o valor de R$7,71. No comparativo do mês entre 2021 e 2022 o valor cresceu 56,4%, partindo de R$11,10 para R$17,36.

De acordo com o coordenador técnico do Sistema Famasul, André Nunes, vários fatores influenciaram a variação nos preços. “A demanda de mel teve um crescimento, devido à pandemia, valorizando o produto. Além disso, o aumento do dólar frente ao real também encareceu o preço da mercadoria. Esses dois fatores somado ao aumento dos custos de produção, insumos e transporte fez com que o produto aumentasse o valor no mercado”, explica.

A analista técnica do Sistema Famasul Eliamar Oliveira destaca que em janeiro de 2021 o estado registrava 25.834 caixas de abelha. “Ao final do ano passou a 27.742 caixas, apresentando crescimento de 7,39%. Os dez principais produtores do MS respondem por 44,65% do total de colmeia do estado”.

O último dado do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), aponta que a produção de Mato Grosso do Sul em 2020 foi de 984 toneladas de mel. Entre os dez maiores municípios produtores estão: Jardim, Três Lagoas e Dourados. A capital aparece em 10º no ranking estadual, que somada às outras nove cidades com maior produção, totalizam 52,5% do volume da mercadoria.

Apicultura 

A produção total dos apicultores atendidos pela Assistência Técnica e Gerencial do Senar/MS, foi de 87,6 toneladas de mel em 2021, com produtividade média de 12,25kg por colônia, incluindo pequenos, médios e grandes produtores. Em dezembro de 2021, a ATeG acompanhou um total de 6.386 colônias.

As mercadorias comercializadas somaram 66,5 toneladas, correspondendo a mais de R$1,1 milhão. Ainda dentro do ano de 2021, foram 24,7 toneladas de mel produzidas em 2020, gerando uma receita de R$394,9 mil. O preço médio registrado, incluindo vendas no atacado e varejo, foi de R$25,51 por quilo.