Em 2021, preço da arroba do boi aumentou 39,41% no Estado

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no print
Print
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print
Em 2015, o rebanho bovino fechou em 20,65 milhões de cabeças, conforme o Iagro

Comparativo entre 2020 e 2021, aponta que o preço da arroba em Mato Grosso do Sul, subiu para 39,41%, enquanto o da vaca, chegou a 42,43%. A alta pode estar diretamente ligada a queda no número de abates dos animais e ao aumento das exportações.

A analista técnica Eliamar Oliveira do Ministério da Agricultura, explica que a baixa nos abates tem grande influência. “Esse fator contribuiu para aumentar a liquidez das indústrias exportadoras e compensou a instabilidade no consumo interno”, afirma.

Com isso, o preço do boi que custava R$ 209,94, passou a ser vendido a R$ 292,67. Respectivamente a cotação da vaca partiu de R$ 195,79 para R$ 278,87.  

Segundo dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), a redução de abate foi de 11,87%.

“A queda ocorreu em função da retenção de fêmeas, já que o abate dessa categoria registrou queda de 18,94% de 2020 para 2021 e do aumento no custo de produção. Em um ano, o custo de produzir uma arroba cresceu aproximadamente 47%”, completa Eliamar.

Exportações  

A China permanece na liderança sendo o principal destino das exportações de Mato Grosso do Sul e possui 20,3% de participação na receita, seguido pelo Chile com 18,45% e Estados Unidos com 15,43%.

De acordo com o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), a receita com a comercialização da carne bovina para o mercado externo cresceu 16,3% no último ano, e o volume reduziu cerca de 2,4% no mesmo período.