Balança comercial de MS tem superávit de US$ 516 mi

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no print
Print
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

“Tivemos um excepcional crescimento das exportações e isso decorre de dois fatores: primeiro, a antecipação da safra. Mato Grosso do Sul colheu um volume significativo de soja em janeiro e fevereiro, lembrando que boa parte desse volume já havia sido comercializado”, cita o secretário Jaime Verruck, da Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar).

Ele lembra ainda que “em segundo, tivemos o crescimento no volume de exportações de celulose (22%), carne bovina (56%), óleos e gorduras vegetais (73%) e carne de aves (38%). Portanto, há uma sinalização positiva nas exportações de Mato Grosso do Sul, chegando a praticamente US$ 1 bilhão nos meses de janeiro e fevereiro”, ressaltou.

Os dados da Carta de Conjuntura da Semagro, que usa informações da Secretaria de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior mostra que a soma de tudo que o Estado vendeu ao exterior nos meses de janeiro e fevereiro deste ano, descontando o que comprou de outros países, totalizou US$ 516,2 milhões de dólares. Esse valor é 189% maior do que o resultado obtido no primeiro bimestre do ano passado: US$ 178,5 milhões.

As exportações sul-mato-grossenses somaram US$ 991,3 milhões no primeiro bimestre de 2022, enquanto as importações ficaram em US$ 475 milhões. No mesmo período do ano passado o Estado exportou US$ 593,6 milhões e importou US$ 415 milhões.

Produtos – a soja foi o produto que liderou a pauta das exportações nesse início de ano, desbancando a celulose que tem se mantido no topo por um longo período

Com relação ao destino das exportações, não houve alteração nas primeiras posições da tabela, porém a China ampliou de forma significativa sua parcela no mercado exterior sul-mato-grossense.

“No ano passado, nesse período, a China comprou 20% de nossos produtos e nesse ano, chegou a 40%. Os Estados Unidos, como destino de nossas exportações, também continuam relevantes, com um crescimento de 80%, mantendo-se como segundo principal parceiro”, pontuou Verruck.

O principal município exportador foi Três Lagoas, com cerca de 39,94% das vendas ao exterior, devido sobretudo às indústrias de papel e celulose instaladas ali. Em segundo vem Campo Grande (11,34%), Naviraí (6,39%) e depois Dourados (6,01%).