Rota Bioceânica: Paraguai adia licitação, mas cronograma de obra está mantido

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no print
Print
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

O Ministério de Obras Públicas do Paraguai adiou por duas semanas a abertura dos envelopes para a licitação da construção da Ponte entre Carmelo Peralta e Porto Murtinho, obra estrutural para a Rota Bioceânica. Apesar do anúncio, o secretário Jaime Verruck, da Semagro, afirma que esse tempo não compromete o cronograma das obras.

“Fomos informados do adiamento da entrega e abertura dos envelopes que estava prevista pra 1º de julho, devido a um pedido das empresas concorrentes que estão se organizando para a obra. Mas isso não compromete o cronograma das obras e
continuamos com a expectativa de que o processo seja concluído em setembro”, explica o secretário titular da Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar).

Necessariamente as empresas vencedoras da licitação devem ser dos dois países, Brasil e Paraguai e o prazo de construção estimado da ponte é de três anos, tendo início em 2022.

A infraestrutura, orçada em US$ 82 milhões, será paga com recursos da Itaipu Binacional e é fundamental para o avanço do cronograma de implantação da Rota Bioceânica. Esta será a terceira união física com o Brasil, depois da Ponte da Amizade (em Ciudad del Este – Foz do Iguaçu) e da Ponte da Integração (Presidente Franco – Foz do Iguaçu), atualmente em construção.

De acordo com o MOPC (Ministério de Obras Públicas e Comunicações do Paraguai), “esta obra é considerada o principal elo de todo o Corredor Rodoviário Bioceânico, cujo primeiro trecho de 277 km já está em construção para unir os municípios de Carmelo Peralta (Alto Paraguai) e Loma Plata (Boquerón), registrando até hoje quase 70% de avanço geral”.