Estado dá mais um passo para recuperar importante modal ferroviário

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no print
Print
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Em uma videoconferência com autoridades e operadores de logística, o Governo do Estado de Mato Grosso do Sul discutiu nesta terça-feira (22) o processo de recuperação da ferrovia Malha Oeste – um modal importante para o escoamento das riquezas. 

Para o governador Reinaldo Azambuja, a reativação vai dar competitividade aos produtos sul-mato-grossenses além de gerar empregos e renda. “É um meio logístico que dá competitividade tanto às riquezas produzidas em Mato Grosso do Sul como às importadas e, além do mais, é uma conexão ferroviária com a Bolívia em uma ferrovia que se chama transamericana, ela ligaria Mato Grosso do Sul aos portos do Oceano Pacífico. Eu entendo que com a saída rodoviária por Porto Murtinho e a reconstrução da Malha Oeste teremos um grande modal logístico e desenvolvimento, geração de empregos e oportunidades para Mato Grosso do Sul”, disse.

O secretário Jaime Verruck (Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar) explicou que a Malha Oeste, que foi devolvida pela Rumo, liga Mairinque, em São Paulo, a Corumbá, em Mato Grosso do Sul, com ramal de Campo Grande a Ponta Porã.  “É uma artéria que liga também à Bolívia e ao Paraguai. Nós estamos trabalhando conjuntamente com o Governo Federal, com o PPI [Programa de Parcerias de Investimento], e com os ministérios para termos a relicitação e, na sequência, a reconstrução da Malha Oeste”, acrescentou.

A reunião contou com as presenças do ministro João Carlos Parkinson, diplomata das relações exteriores do Brasil, e do deputado federal Vander Loubet, entre diversas autoridades.