MS comemora solidez fiscal indicada pelo Tesouro Nacional

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no print
Print
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Após seis anos com Mato Grosso do Sul na letra ‘D’ da Capacidade de Pagamento (CAPG), o Estado conquistou classificação ‘B’ pelo Tesouro Nacional, o que indica solidez fiscal. A nota é composta pelo indicador de endividamento, poupança corrente e índice de liquidez.  Com essa nova posição, o Estado abre um teto fiscal de R$ 1,3 bilhão, podendo obter novos financiamentos.

“Quero compartilhar com vocês que fiquei muito feliz, depois de seis anos na letra D, que é o último no ranking da Capag dos estados brasileiros, que conquistamos a classificação B. Isso nos permitirá um novo patamar de credibilidade do nosso Estado no contexto financeiro e demonstra a seriedade imposta pela nossa administração nesses anos todos”, comemora o governador do Estado, Reinaldo Azambuja.

O cálculo da Capag corresponde a uma avaliação da situação fiscal do Estado, possibilitando a comparação entre os demais, com base em metodologia e informações conhecidas e padronizadas.

Histórico

Em 2015, Reinaldo Azambuja encontrou Mato Grosso do Sul na classificação ‘D+’. Em 2016 passou para ‘C-‘ e agora ‘B’, pela primeira vez na história do Estado.