Medida Provisória deve acelerar relicitação da malha ferroviária de MS

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no print
Print
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

O presidente da República, Jair Bolsonaro, assinou MP (Medida Provisória) que cria o Marco Legal das Ferrovias. O texto foi publicado na edição desta terça-feira (31), do DOU (Diário Oficial da União). Entre os principais pontos, está a agilidade na concessão de trechos ferroviários por meio de contrato proposto pela própria empresa interessada em operar uma nova linha. O prazo do contrato de autorização terá duração máxima de 99 anos, prorrogáveis por igual período.

Pelo menos duas ferrovias do Estado podem ser beneficiadas, a Ferroeste, no trecho de Maracaju a Paranaguá (PR), e a Malha Oeste, de Mairinque (SP) até Corumbá. O governo federal já estudava um caminho para acelerar relicitações.

“Existe uma possibilidade que abrevia muito isso, que é a autorização ferroviária. Uma vez que a Malha (Oeste) está sendo devolvida pela Rumo e uma vez que já tem grupos interessados de fazer a administração e a recuperação desse trecho tem a possibilidade de, por meio de uma autorização que ainda não existe no Marco Legal (das Ferrovias), mas estamos as providências para resolver isso, e passar (a ferrovia) para a iniciativa privada via autorização”, explicou o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, em visita ao Estado no dia 9.

O coordenador de Logística da Semagro (Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), Lúcio Lagemman, explica que a MP pode atrair mais investidores se a concessão for por trecho.

“MS está amplamente contemplados com a MP, principalmente por poder destravar de forma mais rápida e efetiva trechos importantes. A Ferroeste tem um trecho de Dourados a Maracaju ainda sem concessão, que pode ser pedido, e a Malha Oeste se enquadra em ferrovias em processo de devolução”, declarou.