Dourados criou 2,6 mil vagas de emprego no 1º semestre, aponta Caged

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no print
Print
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print
Setor industrial foi um dos destaques na geração de empregos em Dourados

Dourados gerou 2.600 novos postos de trabalho Nos primeiros seis meses de 2021. É o que o mostra a pesquisa Caged (Cadastro Geral dos Empregados e Desempregados), divulgada nesta quinta-feira pelo IBGE. Também no semestre, Campo Grande se destaca sendo responsável por 9.006 novos empregos, seguido por Dourados e Três Lagoas com 1.529. Bataguassu é o município onde mais empregos foram perdidos no semestre, sendo 187 vagas a menos, seguido por Paranaíba que fechou 95 postos de trabalho.

Já o Estado segue recuperando os empregos formais perdidos durante o período de maior impacto econômico da pandemia de Covid-19. Dados do Cadastro Geral dos Empregados e Desempregados (Caged) mostram que em junho de 2021 foram criadas 3.535 novas vagas de emprego formal.

No primeiro semestre de 2021, Mato Grosso do Sul acumula 27.756 novos empregos. A curva crescente na geração de emprego começou em setembro de 2020, após cinco meses em que as demissões foram maioria. Em janeiro uma leve retração e de fevereiro a junho, o aumento nas contratações é constante.

O setor de serviços é o principal responsável pela recuperação econômica que reflete na geração de emprego, tendo gerado 11.667 vagas entre janeiro e junho. O comércio desponta em segundo, com 6.203 vagas no semestre e a indústria em terceiro com a contratação de 4.391 funcionários. Agropecuária e construção civil geraram 3.156 e 2.339 novas vagas, respectivamente.

Secretário de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), Jaime Verruck destaca que “os números comprovam que há uma retomada da economia”. Para ele, a política estadual de desenvolvimento econômico ao longo dos anos tem refletido na geração de empregos. “Estamos tendo um crescimento sustentável em todos os setores e isso mostra que o empresário está confiante, contratando e produzindo”, afirma.

Dos 21 subsetores analisados pelo Caged, somente três tiveram queda na geração de emprego de janeiro a junho de 2021 comparado ao mesmo período de 2020. A tendência do ano se manteve no mês de junho, com 1.091 novas vagas do setor de serviços, 1.070 do comércio e 706 da indústria.